Departamento de Endocrinologia Feminina e Andrologia


Notícias

Espaço reservado para as noticias referentes a Endocrinologia Feminina e Andrologia.

Corpo "Bombado"

003.09.2013 Andrologia

A busca por um corpo perfeito, com músculos torneados, leva muitas pessoas às academias. Até ai, muito bom e saudável. Mas nem todo mundo tem paciência de seguir o tempo e esperar o tempo necessário para chegar ao físico desejado. Um grupo grande de jovens adultos acaba recorrendo ao uso de anabolizantes, conhecidos popularmente como "bomba", com a intenção de atingir um resultado rápido. "Os anabolizantes a capacidade do corpo de desenvolver massa muscular, resistência e força. São hormônios sintéticos à base de testoterona, progesterona e hormônio GH. Nosso organismo já produz esses hormônios naturais que ajudam na construção do tecido", diz Ricardo Muniz Nahas, especialista em Medicina do Esporte e diretor da Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e do Esporte (SBMEE).

Segundo uma pesquisa realizada pelo Centro Brasileiro de Informações sobre Drogas Psicotrópicas (Cebrid), o uso de esteroides e anabolizantes cresceu aproximadamente 75% no Brasil no últimos anos (dados de 2012). "Adultos jovens, que fazem academia, são magros, introvertidos e querem aumentar a massa muscular com rapidez, estão na lista de pessoas que fazem uso dessas substâncias de forma ilegal e perigosa", Avisa Ruth Clapauch, vice-presidente do Departamento de Endocrinologia Feminina e Andrologia da Sociedade Brasileira de Endocrinonlogia e Metabologia (SBEM).

Os especialistas explicam que as substâncias contidas nos anabolizantes aumentam aumentam a síntese de proteína no corpo por conterem progesterona (hormônio feminino) e testosterona (hormônio encontrado em maior quantidade nos homens). Por isso, quando a mulher usa anabolizantes de forma desorientada, corre o risco de ficar masculinizada. "A droga pode gerar muitos efeitos colaterais, como engrossamento da voz e aumento de pelos. Além disso, leva as mulheres a desenvolverem outros problemas graves, que envolvem irregularidade ou interrupção das menstruações, atrofia das mamas, aumento das genitálias e problemas para engravidar", explica Clapauch. 

Nos homens os problemas também são graves: calvice precoce, desequilíbrio hormonal, problemas de fertilidade, aumento da agressividade e de acnes na pele. "Os riscos para a saúde, incluindo o perigo de morte, são muitos. As pessoas que fazem uso indiscriminado de anabolizantes têm mais chance de desenvolver problemas cardiovasculares, alguns tipos de câncer e aumento do colesterol ruim. Também existe a possibilidade de contraírem HIV e hepatite, já que muitas versões da substância são ingetáveis", reforça Nahas.

Para competições e no esporte, o uso de anabolizantes é ilegal, embora sejam usados ilicitamente. "O uso mais comum das substâncias é para condições crônicas debilitantes, como casos de câncer e Aids. O esteróide anabólico tem sido aprovitado para inúmeros experimentos médicos e no tratamento de pacientes submetidos  a grandes cirurgias ou que tenham sofrido acidentes sérios", diz Nahas.

Geralmente os anabolizantes são comercializados em forma de comprimidos, cápsulas e injeções intramusculares. Alguns exemplos de esteróides anabolizantes são: Durasteton, Deca-Durabolin e Androxon, mas eles devem ser sempre utilizados com orientação médica. "O que indico para as pessoas que querem ter um físico bonito é aproveite a genética e faça atividade física regular, orientada por especialistas e acompanhada de uma dieta específica para o resultado desejado. Não use de maneiras artificiais", completa Nahas.

Baixe o PDF da matéria original AQUI